segunda-feira, 29 de outubro de 2012

1 ano, 9 meses e um vaaaaasto vocabulário


1 ano e 9 meses... estou quase perdendo as contas, de tantos que são os meses desde que o meu lindo amor nasceu: 21 meses! 

Minha cabeça anda fervilhando por conta dos 2 aninhos. Ano passado, a essa altura, eu já havia decidido tudo: Buffet, lembrancinhas, vídeo, tema, roupas, adicionais, etc. etc. Este ano simplesmente não sei como será: Buffet de novo? Qual? Uma viagem enquanto ainda somos 3 (embora a mamãe aqui estará com um belo barrigão 6 meses e meio)? Festinha na escola e depois um bolinho só pra família? Não sei! Há de se lembrar que tenho um quarto para fazer! Um quarto que deve ser lindo e encantador, digno do seu dono: meu menininho de 2 aninhos! Sendo assim, o assunto “2.º niver” terá próximos capítulos!

Miguel anda muito, super, ultra, mega bagunceiro, arteiro e desobediente. Não sei se já são os “terrible twos”, o fato é que piorou bem nos últimos meses. E eu (pobre mãe, educadora e psicopedagoga) confesso que na prática a teoria ajuda, mas não funciona!!! Rá! Disse tudo, né? É mais ou menos assim: entre conversar, colocar de castigo ou bater (por favor, nem pensem em colocar a última opção em prática), posso optar por qualquer um porque na atual fase crítica nenhum funciona mesmo! Brincadeiras à parte, óbvio que continuo conversando. Não funciona agora, mas um dia eu venço pelo cansaço e pela coerência. Acho que, com crianças pequenas, a coerência é a verdadeira alma do negócio. O que não pode é uma hora deixar e outra não! Se algo é inaceitável, tem de ser sempre, por mais cansativo que seja. Não dá para “largar pra lá”.

Ele continua um gracista de marca maior, com todas aquelas “caras e bocas”! Um ator, o meu pequeno. Gosta de fazer gracinha porque sabe que conquista.  

Anda cismado com a fantasia de Pequeno Príncipe (herança da festa de 1 ano, que ficou esquecida no guarda-roupa por meses!). Ele pede a “opa de pince”, veste e desfila... com toda a pompa que um legítimo príncipe deve ter! Já dormiu com a fantasia, óbvio!

Já dormiu também de sapatos. Porque cisma com determinado par (mesmo que ainda seja 2 números a mais que o pezinho dele), calça e não quer tirar por nada. Aliás, ele nunca quer os sapatos que eu escolho. Sempre quer “Oto papato, mamãe, oto!”. Quando é possível, eu digo que é possível. Quando não é, eu explico o motivo e voilà, pois ele ainda é novinho demais para decidir tudo. E tenho dito! Ir para a escola com umas pantufas enormes não rola, filho! Sinto muito!

Não posso esquecer que também já dormiu de boné. Aliás, é fissurado por bonés. Os dele e os do papai. Ama e ama! Ninguém incentivou. Ele simplesmente ama!

E já dormiu com a sunga do cruzeiro. Sem comentários.

A verdade é que entre berrar e dormir com algo que não seja exatamente um pijama, fico com a segunda opção. E deixo para me desgastar com o que realmente vale a pena.

Ama colorir. Tem um tapetão no quarto dele. A parte de baixo é tipo um plástico (ou lona?) bem grosso e resistente. Eu, então, tive a ideia (genial rsrsr) de virar o tapete ao contrário, com o plástico para cima, e deixar o lindo colorir lá em cima: suja o tapete (afinal, todas as folhas do mundo são pequenas), mas depois eu viro para o lado certo de novo e ninguém vê. E o chão continua intacto, obrigada! 

Bom, o chão do quarto dele continua intacto, mas o da cozinha não! Dia desses, ele rabiscou o meu porcelanato preto com caneta de retroprojetor. Aquela da tinta permanente! Pelo menos não foi o porcelanato branco, né? Sempre pode piorar! Então, o jeito é ficar feliz e manter a caneta em local mais seguro.

Não para um segundo, por isso acaba caindo e se machucando. A última vez ganhou um roxo e um belo corte pertinho do olho (ai, meu coração de mãe!). Estava na toca de bolinhas. Foi sair correndo, tropeçou e bateu o rosto no home theater. Cortou bem ao lado do olho. Ficou com o olho todo roxo. Chorou quase nada porque ninguém pode dizer que tenho um filho manhoso. Definitivamente o meu Miguel não tem nada de chorão.

Pra finalizar, acho que o mais delicioso dessa fase tem sido mesmo a tagarelice. Miguel está falando tudo, tudo, tudinho! A rapidez do processo de surpreendeu. Eu entendo cerca de 90% do que ele diz. As pessoas de fora entendem cerca de 50 ou 60%, o que eu acho que já é bem considerável. Claro que ele ainda fala muito mais quando está só entre os MUITO próximos, mas têm se soltado com mais pessoas. Fala coisas lindas de morrer de amor! Vou tentar citar algumas das mais engraçadinhas. O restante é mais certinho:

Elefante: pante
Elefantinho: pantinho
Ursinho: uxinho
Papai do Céu: Papai Xéu
Quebrou: bodou (essa eu não sei de onde ele tirou!)
Borboleta: poti (analogia à música “Borboletinha, tá na cozinha...”. Ele que inventou.)
Madrinha: mainhaaaaa
Pirulito: bate (analogia à música “Pirulito que bate bate...”. Ele que nventou)
Jacaré: acaié
Arroz: aoooooiz (assim, com o “o” bem prolongado)

E agora está falando o nome das pessoas da família:
_Como a mamãe se chama? TTTTTaTTTTTTi (Com T bem marcado, com a língua na ponta dos dentes)
_ Como o papai se chama? Deiegoooooo (com alguma variação para “Deego, às vezes”)
_ Como a mainha se chama? Namiiiii (o nome da madrinha é Thami)
E mais:
Titia Caquel (titia Raquel)
Padinho Leo (padrinho Leo)
Vovó Ieia (Vovó Leila)
Vovô Uigi (Vovô Luiz)
Vovó Juju (Vovó Zuzu - Zulmira)
Titia Lalá (titia Lalá mesmo - Larissa)
Tio Dé (tio Dé mesmo - André)
Maíja (priminha Maria Luíza)
Bija (bisa ou bisavó)

E agora um pouquinho do meu lindo se divertindo na escola:






 Por hoje, é só. 



Ahhh e aproveito para dizer que o segundinho aqui dentro da barriga da mamãe que vos fala está muito bem, obrigada. Semana que vem temos outra US (4 meses - Já!) e saberemos, de uma vez por todas, se chegará mesmo outro lindo menino à minha vida ou se há alguma surpresa.

E a minha barriguinha está assim:


 

beijos nossos!