sábado, 28 de janeiro de 2012

É amanha!!!

É amanhã.




Amanhã você completa 1 aninho, meu amor.

Amanhã completa 1 ano que eu me tornei mãe.

Amanhã faz 1 ano que eu entendi o motivo de toda a minha vida.



Me lembro como se fosse hoje:

No dia 28, tinha ultrassom marcado para as 16h no hospital Materder. Eu estava diferente, mas não sabia que você viria ao mundo tão rapidamente; imaginava ter você comigo dali a 4 ou 5 dias – não dali a algumas hora. Estávamos eu e sua madrinha, Thami.

Nossa US seria com a Dra. Juliana Leite. Ela nos examinou, você estava ótimo: continuava se mexendo muito e respondia a todos os meus chamados. Eu estava bem também. Ela perguntou quando eu teria US novamente. Seria dali a exatamente uma semana, no dia 04/02. Ela disse que não daria tempo, pois o líquido amniótico já estava um pouco abaixo do normal. Fiquei apreensiva, mas ela me disse para voltar na quarta-feira. Seria dia 01/02, o dia que eu sempre achei que você nasceria.

Pagamos o estacionamento e fomos embora, mas assim que entrei no carro liguei para a Dra. Júnia, que acompanhou toda a nossa gestação, e relatei a ela a diminuição do líquido. Ela me pediu para dar meia volta e pedir um exame mais detalhado para ver se havia sinal de dilatação. Ela não recomendou aguardar tanto. Disse que diminuição do líquido poderia significar que o ambiente não estava tão bom para você. Hesitei por um segundo: “e o meu PN?” Bom... não durou mais que um segundo mesmo: “o que significava um PN perto do bem-estar do meu filho?”. Avisei o papai. Você nasceria hoje ou amanhã. Voltamos ao hospital. O Dr. João Oscar me atendeu. Não havia sinal de dilatação. Como a Dra. Júnia, ele também achava que aguardar poderia não ser o ideal. Nessa hora, a minha vontade de ter um PN já tinha ido pras cucuias! A única coisa que eu queria era ver a sua carinha, sentir o seu cheirinho! Não poderia mais aguardar! Confiei! Como não havia um risco tão iminente, marcamos para o dia seguinte: você nasceria às 14h do dia 29/01/2011. Liguei para o papai. Liguei para a vovó. Mandei mensagem para toda a minha lista de contatos. Recebi tantas mensagens bonitas...

Voltamos para casa. Papai e eu fomos ao Carrefour; precisávamos abastecer a casa, afinal ficaríamos alguns dias sem sair de lá, após voltarmos da Maternidade. Eu ainda tinha pique, apesar de inchaço e um lindo barrigão! Já em casa, papai foi jogar videogame. Eu conferi a malinha da maternidade pela milésima vez. Estava tudo perfeito. Escrevi no blog. Chorava de emoção; não tinha medo algum. Li muitas coisas. Escrevi algumas. Tomei banho e tentei dormir. Não consegui. Às duas horas da manhã, comi um pacote(inho!) de salgadinho e um potinho de chandelle. Ainda lembro quais eram...

Acordei (Oi? Mas nem dormi...) às 6h da manhã. O tempo não passava. Eu não podia mais comer nada. Jejum. Senti fome, mas logo me esqueci dela. Fiz unha às 9h. Passei um esmalte clarinho que, depois de alguns dias (lembro bem, pois fiquei com muita raiva) ficou amarelo. Horrível! Quando voltei do salão, fui tomar banho e, então, já estava em cima da hora de ir para a maternidade. Eu deveria chegar lá às 12h. Cheguei por volta de 12h30. Me dirigi à recepção e, para minha surpresa, a atendente me disse: “Tatiane? Já vieram te procurar para preparar o parto”. Nossa, que frio na barriga!!!

Subi e, realmente, em menos de 10 minutos eu já estava devidamente vestida. Diego comigo o tempo todo. Os demais chegariam dali a pouco; eu só os veria pelo vidro, já com Miguel no colo, mas ainda não sabia disso. Fui encaminhada para a sala de parto, recebi anestesia, AMEI a equipe toda. E aqui preciso agora, 1 ano depois, fazer um comentário: me entristece demais ler por aí que só um parto vaginal pode ser humanizado. Não é verdade MESMO! Eu não fiquei amarrada, não me torturaram nem por um segundo, conversaram comigo o tempo todo, respeitaram o meu tempo, o meu marido ficou ao meu lado o tempo todo, me contaram cada detalhe, me perguntaram sobre minhas preferências (óbvio que ninguém me perguntou se eu queria um corte horizontal ou vertical. Não estou falando disso, mas sim de coisas como a posição do leito em relação ao vidro, momento de abertura da sala, presença de quais e quantas pessoas, etc.). Eu fui ABSOLUTAMENTE respeitada. E isso inclui ver, pegar, abraçar, cheirar e amamentar o meu bebê (embora sem leite) assim que ele nasceu.

Bom, e aí... e aí o lindo nasceu! Exatamente às 13h52 do dia 29 de janeiro de 2011. E eu chorei de emoção! E eu entendi o que é amar! E eu percebi que o meu coração se iluminou, os meus olhos se iluminaram, a minha vida se iluminou... E assim que minha vida está desde aquele dia: ILUMINADA!!! Há um ano...

Bom... por hoje é só. Sabe por quê? Porque amanhã tem festa!!! E aí teremos MUITAS novidades. Está tudo pronto; estamos apenas aguardando, contando os segundos!

Obrigada, meu Deus, por ter nos permitido viver este ano de felicidade plena. Obrigada pela vida e pela saúde do meu filho, obrigada por nos ter dado condições de criá-lo tão bem até aqui e de estarmos, agora, comemorando esse dia com uma festa tão bacana. Obrigada, meu Deus. Obrigada.

Tati

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Os primeiros passinhos

Passando bem rapidinho, só pra registrar que hoje o meu lindo deu os seus primeiros passinhos, sozinho, sem apoio!!!!

Uns passinhos tímidos, ainda inseguros e MUITO cambaleante. Mas passinhos, ainda assim!!!

MUITO FELIZ E ORGULHOSA!!!!

Parabéens, amor meu, por essa conquista. Não demora e você vai estar correndo por aí.

Tati
(mãe babona quase chorando)

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Natal + 11 meses + Ano Novo

3 assuntos no mesmo post. Motivo: falta de tempo. Mas o engraçado é que desta vez a minha falta de tempo foi uma delícia: de férias, passeando e brincando MUITO com meu pimpolho. É assim que estamos desde o dia 22/12. Só que, passados 15 dias, amanhã é dia de retornar ao trabalho. Sem pesar. Foi minha escolha e continua sendo. O lindo vai ficar na casa da vovó até fevereiro, quando recomeçam as aulas. No meio disso tudo... dia 29/01 está chegando e VAI TER FESTAAAAA!!!

Então, bora aproveitar algumas horinhas do sono do Miguel (e do meu último dia de férias) e atualizar o blog:

***
Natal, Natal...

Perfeito o primeiro Natal ao lado do meu lindo. Família reunida na casa da tia Quel. Miguel MUITO elétrico até as 2h da manhã. Muito presente, muita coisa gostosa, um clima de harmonia e paz e, o principal, o Feliz Natal mais emocionante da minha vida, dado a um menininho lindo e encantador, que à meia-noite estava feliz em meu colo.

Então, fotos:








***
11 meses de Miguel
(Nota: escrevi esta parte no dia 29/12. Por isso está no presente. Vou manter da forma original, sem alterações por conta dos dias que se passaram sem que eu postasse.)

11 meses. Filho, é seu último mesversário. Sim, pois daqui a um mês vc fará 1 aninho. A mamãe queria congelar o tempo... Curtir um bebezinho por mais uns.. 11 meses... Mas não dá. É só olhar pra vc e ver que não tem mais nada de bebezinho. É um menininho lindo, esperto, doce, carinhoso, bagunceiro, brincalhão, cheio de vontade, muito gracista e dono do sorriso mais lindo que este mundo já viu.

Você aprendeu a apontar as coisas com o dedo indicador em riste. É lindo. Antes apontava com a mão. Agora é com o dedo mesmo. Tb com o mesmo gesto, só q sem apontar pra nada, vc mostra q vai fazer 1 aninho. Lindooooo.

Vc já relaciona o nome a varias coisas e pessoas: mamãe, papai,vovó, vovô, madrinha, Luna, piu-piu (o canarinho da madrinha), banho (banheira), pé, sapato, nariz, bola, plantinha (uma específica, claro, q o vovô mostrou).

Engatinha com 4 apoios qdo quer. Principalmente qdo é por uma distância curta e qdo se prepara para ficar em pé. Para caminhos "longos", q vc quer percorrer com mta agilidade, continua preferindo se arrastar como soldadinho de trincheira. Se a mamãe levanta sua barriguinha e diz pra vc engatinhar direito, você faz em 4 apoios o restante do trajeto. Mas não tem motivo pra eu fazer isso; vá como quiser! Se levanta o tempo todo e anda de ladinho, segurando-se nos móveis. Ama!!! E por isso mostra a sua clara preferência do momento: ficar em pé.

E dança. É só ouvir uma musiquinha que dança muito. Sentado, em pé, deitado, no colo, na cadeira... em qualquer lugar!

Come de tudo. É um comilão!

Agarra a mamãe num abraço tão gostoso, que nunca alguém havia me dado. E nunca alguém será capaz de dar. O seu é o abraço mais delicioso deste mundo! Nunca deixe de me presentear com esse abraço, meu amor! Eu amo mais que tudo!

E agora... choro ao mesmo tempo de alegria e de saudade. Meu bebê não é mais um bebê...

***
Feliz Ano Novo!!!

É o que desejei ao meu pequeno lindo à meia-noite do dia 31/12 e o que desejo a todos os nossos amigos leitores.

Acho que nem preciso dizer o que 2011 significou para mim. Simplesmente, o ano em que me tornei mãe de um menino lindo e extremamente saudável. O ano da minha vida. Vou sentir saudade. Mas sei que 2012 também reserva para mim e para os meus muitas alegrias, emoções diversas: os primeiros passinhos, as primeiras frases (mesmo que curtinhas) do meu filho, a sua primeira festa de aniversário... E quem sabe 2012 não será o ano em que ficarei grávida pela segunda vez? Quem sabe....

Então, mais uma foto:


***

Bom... por hoje é isso. Imaginem como está essa mãe a 24 dias da festa de 1 ano. Está tudo pronto ou encomendado. Esta semana resolvi os últimos detalhes: mesa de guloseimas, convites, vídeo de retrospectiva, roupas minhas e do Miguel. Enfim, tudo sob controle, mas confesso uma ansiedade ENORMEEEEEE. Não só pela festa em si, mas porque em poucos dias eu deixo de ter um bebê para ter um menininho de 1 ano...

Meu Deus, como passou rápido!!! Tenho chorado muito ao cuidar de todos os preparativos da festinha; tenho revivido cada segundo, desde a descoberta da gravidez até aqui; tenho pensado muito em como as coisas mudaram em 1 ano e 9 meses - como eu mudei! Como passei a dar valor a coisas que antes nem me importavam e como outras deixaram de ter qualquer importância... Como esse amor por Miguel e para Miguel me mudou para melhor. Só tenho a agradecer. Tenho MUITO o que agradecer. Deus permita que essa alegria tão grande faça sempre parte da minha vida, da vida do Miguel, da vida da nossa família. Que sejamos sempre merecedores de tanta coisa boa! Obrigada, meu Deus!



Muitos Beijos,

Tati e Miguel