sábado, 27 de novembro de 2010

Mamãe de molho - Parte 2

É... ontem - pela 2.ª vez em uma única semana - fomos parar na emergência do hospital.

Cheguei ao trabalho já com um pouco de dor de estômago. Eu tenho gastrite há 10 anos; sei que - da mesma forma como a dor surge - a dor vai embora. Pensei: "vou tomar café da manhã e logo essa dor passa". O relógio marcava 8h30 da manhã.

Às 9h30, eu não tinha mais posição: a dor apertava a cada minuto. Por volta das 9h45 eu cheguei à conclusão de que nunca havia tido uma crise de gastrite tão violenta. Comecei a chorar; não sei se de dor ou de desespero por não conseguir me livrar daquele incômodo tão grande. Acabei preocupando todas as pessoas que estavam por perto (aproveito para agradecer o carinho sincero!!!). Às 10h, fui convencida de que não havia alternativa plausível além de ir para uma emergência.

Caía um dilúvio em Belo Horizonte.

Por volta das 10h45, acompanhada da Raquel (minha cunhada, amiga querida, titia do Miguel e colega de trabalho), fui atendida pelo médico. Eu ainda chorava muito de dor. Ele me examinou: colo fechadinho (em momento algum eu duvidei disso. A dor era no estômago e eu me conheço bem! Embora muito mais forte e persistente, era a mesma dor que de vez em quando sinto há 10 anos!!!). Ouvimos o coraçãozinho do Miguel (agitadíssimo como sempre e, graças a Deus, certamente alheio à minha dor). Fui para um ambulatório, tive de tomar Ranitidina + Omeprazol na veia (minha mão ainda está dolorida) e fiquei em observação por cerca de 1 hora. A dor custou a passar.

Meu pai me buscou no hospital. Passei a tarde quietinha e, confesso, com medo de voltar a sentir aquela dor imensa quando o efeito da medicação passasse. Não aconteceu; ainda bem. Agora, 4 vezes ao dia eu tenho de tomar um remedinho para não voltar a ter crise. Eu só não sei até quando devo tomar, pois não está escrito na receita e eu - lógico - nem me lembrei de perguntar ao médico (grávida já não consegue se lembrar de muita coisas; sentindo dor, então, aí é que não tem a menor chance!), mas terça-feira tenho pré-natal e perguntarei à minha obstetra. Suspeito, porém, que eu não deva parar de tomar até o fim da gestação.

Estou melhor, mas chateada por ter precisado tomar remédio (já contei o quanto estava evitando). Bom... do jeito que eu estava não dava para ficar!

Espero, sinceramente, que eu tenha esgotado nessa semana a minha cota de idas à emergência. Só quero voltar ao hospital daqui a 9 ou 10 semanas.

Aproveito para agradecer o carinho das amigas gravidinhas! Obrigadíssima pelos recadinhos. Beijos nas barriguinhas!!!

11 comentários:

  1. ohh Tati que bom que ao menos a dor passou e voce está melhor, tambem tenho gastrite há 10 anos e é dificil de controlar, mas graças a Deus na gravidez nao tive nenhum problema com isso, lembre-se de comer aquelas comidinhas chatinhas mas que deixam nosso estomago uma beleza, Couve, couve e couve é sempre bom, coma couve, beba couve!!, ajuda que é uma BELEZA, e não é remedio, é natural e vai ser bom demais pro Miguelzinho!!

    Beeeijos nossos e melhoras.

    ResponderExcluir
  2. Ei Tati!!
    Somos duas então que fomos para a emergencia essa semana.
    Eu que achava q era infecção urinária estou com calculo renal.. e dói um bocadinho viu.
    Essa dor no estomago q vc está eu tbm tive.. sei como vc sentiu! Eu tbm nao queria tomar remedio, mas nao teve jeito. Parece q nossos pequenos sentem q estamos dodoizinhas.. meu Thiago até fica quietinho qdo sinto dor. É mesmo um príncipe!
    Que Deus abençoe vcs e te faça ficar bem logo!
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Oi Tati, sei bem como é isso também tenho gastrite, mais graças a Deus faz tempo não tenho crises e sempre ando com ranitidina na bolsa para eventuais ocasiões, tenho certeza que você não vai ter que tomar remédio por muito tempo viu!
    bjs

    ResponderExcluir
  4. Tati

    Tenho gastrite desde os 17 anos, mas por um milagre ela resolveu sumir com a gravidez. No início sentia apenas azia, mas acho que era resultado dos enjoos, depois disso, nenhum sintoma. Fui premiada mesmo.

    Quanto a vc, querida, fique tranquila, a medicação foi necessária, não fará mal ao baby. E faça repouso, vc precisa.

    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Ow Tati.. mas fique quietinha mesmo. Essas dores podem ser um sinal de que seu corpo precisa de descanso... Melhorinhas pra vc!

    ResponderExcluir
  6. É, amiga. Eu tenho gastrite 'nervosa' desde os 17 anos... mas graças a Deus, tem um tempinho bom que ela não aparece. Tb tenho me policiado, pois não quero ter uma crise agora...
    Procura descansar, relaxar um pouco e se cuidar.
    Melhoras, viu?!
    Bjsss

    ResponderExcluir
  7. Oi Tati,
    Que coisa chata, dor não, ninguém merece. Mas que bom que já está melhor! Se cuida, fique quietinha, que é sempre por uma boa causa!

    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  8. Tati... k sufoco menina, passei por isso tb e to tomando antibióticos...
    O mais engraçado disso tudo e k só pensamos no BB nessas horas... a gente k se exploda ne.
    Ainda bem k sua dor passou, fico feliz... se cuida.
    Bjão DebMelo

    ResponderExcluir
  9. Oi Tati!
    Que bom que a dor não voltou!!! É cada susto que tu leva, menina!!!
    E segue a orientação de tua obstetra: ela vai saber o que é melhor pra ti e que não afeta o baby. Fala dessa tua preocupação com medicação e tenho certeza que ela vai te orientar da melhor maneira possível!
    Te cuida e saiba que tem mais uma torcendo pra tu não voltar no hospital antes do Miguel nascer!!!
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  10. Tati se cuida, cuida do Miguelzinho mtooo e q Deus ajude pra q vc só precise se preocupar com dor quando ele resolver nascer...!
    Bjuuu

    ResponderExcluir
  11. Oi Tati!
    Coloquei selinho pra ti no blog!
    Beijinhossss

    ResponderExcluir

Vamos adorar saber o que você pensa a respeito. Pode comentar!